iFolha - Planejamento familiar: fundamental entender como funciona

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 18 de Abril de 2021
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 15/04/2021
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA


Olimpia, 22 de Fevereiro, 2021 - 17:25
Planejamento familiar: fundamental entender como funciona

Encarado por alguns como tabu, o planejamento familiar é uma excelente “ferramenta” que auxilia quando chega a hora de se organizar como família. É bom dizer que é direito do cidadão planejar o número de filhos que quer ter, a fim de garantir a estas crianças condições adequadas de Educação e Saúde.  É preciso entender que o planejamento familiar não é controle de natalidade, no qual o Estado define o número de filhos que cada família deve ter, mesmo porque no Brasil isso não existe.

Cada vez mais, o Estado investe em campanhas educacionais para o planejamento familiar, distribuindo preservativos e anticoncepcionais nos postos administrados pelo SUS - Sistema Único de Saúde, sendo que a laqueadura ainda é uma das opções preferidas pelas mulheres.

É bom sempre lembrarmos que antes de optar por algum método contraceptivo é fundamental que a mulher e o homem consultem um médico, a fim de que se defina qual será o mais adequado. Entre os mais populares estão a “camisinha” masculina e feminina.

Cada vez mais vencendo os preconceitos, temos ainda a vasectomia que é uma pequena cirurgia feita no homem, com anestesia local, para impedir a circulação dos espermatozoides produzidos nos testículos. O procedimento não interfere na produção de hormônios nem no desempenho sexual.

Um exame deve ser feito após a cirurgia para confirmar a ausência de espermatozoides no sêmen. Pela Lei 9.263/96, este tipo de cirurgia só pode ser realizada em homens com mais de 25 anos ou com pelo menos dois filhos, pois o método pode ser irreversível.

A laqueadura, ou ligadura de trompas, consiste no corte ou grampeamento das trompas de falópio, que ligam os ovários ao útero, para impedir a passagem do óvulo. Só pode ser feita em mulheres com mais de 25 anos ou que já tenha concebido pelo menos dois filhos, conforme determina a Lei 9.263/96. Não é recomendada para mulheres jovens e para aquelas que ainda desejam ter filhos porque o método pode ser irreversível.

Outro método anticoncepcional usado é o diafragma; trata-se de uma capa de borracha ou silicone, com uma borda em forma de anel flexível que é posicionada no fundo da vagina, impedindo a passagem de espermatozoides. Deve ser colocada antes do ato sexual e retirada até oito horas depois. Um médico deve indicar o tamanho adequado para cada mulher.

O DIU - Dispositivo Intrauterino - é uma pequena peça de plástico, revestida de cobre, geralmente em forma de T, colocada por um médico dentro do útero da mulher. Dura em média quatro anos. É fundamental o acompanhamento médico e pode apresentar efeitos colaterais.

Um dos métodos mais conhecidos e utilizados pelas mulheres é o anticoncepcional hormonal, ou seja, as pílulas, que impedem a ovulação. Quando usados corretamente são bastante eficazes. Devem ser prescritos por um médico, já que existem vários tipos, com diferentes combinações de hormônios e dosagens.

As pílulas podem ser de uso oral, vaginal, por meio de adesivo ou injetável, em dose mensal ou trimestral. O método apresenta contraindicações e efeitos colaterais.

Os espermicidas são produtos em forma de creme, gel, espuma ou óvulos que devem ser colocados na vagina de 20 a 30 minutos antes da penetração. Têm a capacidade de matar os espermatozoides, mas têm baixa eficácia e devem ser usados com o preservativo ou diafragma.

E ainda tem a popular “tabelinha”, que não é um método seguro, pois só funciona em ciclos menstruais regulares (28 a 32 dias). Pela “tabelinha”, o casal evita relações sexuais desprotegidas no período fértil da mulher, ou seja, cerca de cinco dias antes e cinco dias depois do provável dia da ovulação que geralmente ocorre 14 dias antes da próxima menstruação.

 


 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
15 de Abril, 2021
A mortes por covid e Barretos abrindo bares, restaurantes e igrejas, foram os principais temas do Cidade em Destaque de quinta-feira, 15.04.2021 - 85
15 de Abril, 2021
Bombeiro incendiário teve que ser escoltado para prestar depoimento na prefeitura e cinco entidades representativas de jornalistas formam comissão para acompanha caso do editor da Folha, foram os temas do Cidade em Destaque de quarta-feira, 14.04.2021. - 127
15 de Abril, 2021
Cidade em Destaque de terça-feira, 13.04.2021 comentou a intolerância e ódio incontidos: advogados jogam ácido em carro de outro advogado. - 133
14 de Abril, 2021
Com 06 mortos em 03 dias Olímpia vai a 18 em abril e 172 na pandemia - 287
14 de Abril, 2021
Casos confirmados de covid caem de 50 para média de 30 por dia - 154


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       














Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites