iFolha - Livro; Consenso e contrassenso por uma economia não dogmática

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 10 de Abril de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 08/04/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 17 de Fevereiro, 2020 - 17:14
Livro; Consenso e contrassenso por uma economia não dogmática

Consenso e Contrassenso
Nos últimos trinta anos, o confronto entre a experiência histórica e os postulados da teoria econômica deixaram claro o grave descompasso entre a realidade e o arcabouço teórico que sustenta as políticas públicas. Como argumenta André Lara Resende nesta coletânea de ensaios, trata-se de um dos principais ingredientes da crise que hoje ameaça as democracias representativas ocidentais. O colapso financeiro internacional de 2008 deixou claro que o pensamento econômico dominante necessita ser reformulado a partir de suas bases mais elementares. No mundo contemporâneo, a tese da moeda como mercadoria é apenas um fetiche anacrônico, que conduz grande parte dos países democráticos a um entendimento equivocado sobre a importância da disciplina fiscal e orçamentária. Um dos formuladores do Plano Real, Lara Resende demonstra que a busca pelo equilíbrio fiscal, a qualquer custo e em qualquer circunstância – um dos dogmas da política econômica dominante –, tem obstruído uma discussão racional sobre o papel dos investimentos públicos e das iniciativas sociais na criação de riqueza e bem-estar social. Com 224 páginas, o livro é da Editora Portfolio Penguin.

 

Martinho Lutero – Renegado e Profeta
Quando Martinho Lutero pregou uma folha de papel na porta da igreja de uma pequena cidade universitária, no dia 31 de outubro de 1517, iniciou-se um processo que mudaria para sempre o mundo ocidental. As ideias de Lutero se propagaram rapidamente. Seu ataque à Igreja Católica logo convulsionou a Alemanha, dividiu a Europa e polarizou as crenças, desencadeando perseguições religiosas, agitação social e guerra. A longo prazo, suas ideias, paradoxalmente, ajudaram a romper o domínio da religião em todos os âmbitos da vida. No entanto, o homem que iniciou a Reforma era cheio de falhas, um fundamentalista religioso, antissemita e politicamente reacionário. Crente fervoroso, atormentado pelas dúvidas e polemista cruel, Lutero libertou a sexualidade humana do estigma do pecado, mas, ao mesmo tempo, insistiu que as mulheres permanecessem em um lugar secundário. Lyndal Roper nos apresenta uma figura de carne e osso, com todas as suas nuances, e revela como um pequeno ato de protesto se converteu em uma luta que transformaria para sempre a Igreja e marcaria o começo de um novo mundo. Com 568 páginas, o livro é da Editora Objetiva.

 

Flush
Logo após publicar o romance “As Ondas”, Virginia Woolf começou a trabalhar em “Flush”, uma biografia do cocker spaniel da poeta Elizabeth Barrett Browning (1806-1861). Nela, o leitor o acompanha desde o nascimento, passando por sua infância ao lado da escritora Mary Russell Mitford (1787-1855), até suas viagens para Pisa e Florença na companhia de Browning. Apesar da premissa incomum, este livro é mais do que um mero divertimento literário: explora a ideia de uma vida livre da tirania das palavras e é um testemunho ímpar da trajetória pouco estudada das duas poetas inglesas, praticamente esquecidas desde a década de 1930. Adotando o ponto de vista de um cão, Woolf sonda com humor inigualável as questões de classe e gênero na Londres vitoriana. Encantador, mas também radical, “Flush” é um exercício de imaginação, um texto aparentemente leve que aborda temas cruciais que irão perpassar toda a obra da autora. Com 160 páginas, o livro é da Editora Portfolio Penguin.

 

O Inominável Atual
Turistas, terroristas, secularistas, fundamen- talistas, hackers. Todos esses personagens habitam e movimentam o inominável atual – um mundo ilusório, que parece ignorar seu passado, mas cuja forma já fora prenunciada entre 1933 e 1945, quando tudo parecia se voltar para a autoaniquilação. Nesse livro iluminador, o italiano Roberto Calasso – chamado de "instituição literária" pela “The Paris Review” – oferece uma elegante reflexão sobre as transformações que ocorrem nas sociedades de hoje, em que a era da ansiedade de W. H. Auden dá lugar a algo muito mais perturbador: a era da inconsistência. Com 184 páginas, o livro é da Editora Companhia das Letras.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
08 de Abril, 2020
Saúde recebe mais dois resultados negativos descartando o covid-19 - 92
07 de Abril, 2020
TV Tem dá a entender que nova flexibilização de Cunha feriu o decreto do governo estadual - 636
07 de Abril, 2020
Saúde implanta drive-thru para vacinar idosos contra a gripe - 164
07 de Abril, 2020
Geninho reclama na internet ter sido vítima de Fake News - 214
07 de Abril, 2020
População vai em massa para as ruas com nova flexibilização da quarentena - 279


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       












Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites