iFolha - Eles são assim: imperfeitos um para o outro

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 27 de Fevereiro de 2021
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 27/02/2021
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA


Olimpia, 11 de Janeiro, 2021 - 20:55
Eles são assim: imperfeitos um para o outro

Eles são assim: imperfeitos um para o outro. E é isso que faz a torcida pelo casal Rita (Tatá Werneck) e Enzo (Eduardo Sterblitch) ficar ainda maior em “Shippados” / Estevam Avellar-RG

 

Com uma análise sarcástica das tentativas de se achar o par perfeito através de algoritmos da internet, “Shippados” mostra, através do humor, como o amor pode surgir de alguns desencontros, em situações inesperadas e na simplicidade do dia a dia / Paulo Belote-RG

 

Valdir (Luis Lobianco), melhor amigo de Enzo (Eduardo Sterblitch) e sua namorada Brita (Clarice Falcão) são dois adeptos do nudismo, sem nenhuma noção de limites / Raquel Cunha-RG

 

Rita é uma mulher multitraumatizada, cuja família é a principal causa de seus dramas. Os fracassos nas investidas amorosas também afetam consideravelmente sua autoestima.  Em seu canal na web, ela encontra uma maneira de externar essa condição / Estevam Avellar-RG

 

Enzo (Eduardo Sterblitch) é um cara neurótico, metódico e introspectivo. Seu quarto é repleto de carrinhos, CDs, games, jogos de tabuleiro, pôsteres de super-heróis e histórias em quadrinhos / Estevam Avellar-RG

 

Com um total de 30 locações e quase 50% de diárias em externas, elenco e produção de “Shippados” tiveram como principais sets os espaços urbanos do Rio de Janeiro, especialmente o centro da cidade e o metrô carioca / Paulo Belote-RG

 

“Shippados” estreia na tela da Globo

As noites de terças-feiras serão animadas por Tatá Werneck e Eduardo Sterblicth na última série escrita por Alexandre Machado com a saudosa Fernanda Young

 

Disponível no Globoplay desde 2019, agora chegou a vez de “Shippados” estrear na telinha da Globo, como uma das novidades de sua programação para o início deste ano.

Rita (Tatá Werneck) e Enzo (Eduardo Sterblicth) estão o tempo todo conectados. O celular é quase uma extensão do próprio corpo, mas o aplicativo de encontros não deu match no casal. Foi num barzinho, à moda antiga, que os olhares se cruzaram. Essa aparente contradição entre o contemporâneo e o vintage permeia também o contraste entre a narrativa de “Shippados” e a identidade visual do projeto que foi originalmente produzida para o Globoplay. Com um total de 30 locações e quase 50% de diárias em externas, elenco e produção tiveram como principais sets os espaços urbanos do Rio de Janeiro, especialmente o centro da cidade e o metrô carioca. Maricá, município litorâneo da região metropolitana do Rio, também foi um dos destinos para os quais a equipe embarcou a fim de contar essa história.

Comédia romântica às avessas, “Shippados” traz uma análise sarcástica do cenário social criado pelos algoritmos da internet. Apesar do tema atual, definiu-se por uma estética “retrô” na composição de cada personagem. “Optamos por uma identidade visual mais vintage e por um tom sempre muito natural, com uma linguagem quase documental do dia a dia dos personagens. Esse estilo deixa a série mais atemporal e é bonito de se ver”, opina a diretora artística Patricia Pedrosa.

De modo geral, toda a produção da série preferiu um visual que provocasse estranhamento. A intenção principal é de fato mostrar as imperfeições e excentricidades de Rita (Tatá Werneck), Enzo (Eduardo Sterblitch), Brita (Clarice Falcão), Valdir (Luis Lobianco), Suzete (Júlia Rabello), Hélio (Rafael Queiroga) e Dolores (Yara de Novaes) e também aspectos que os conectam com pessoas reais que circulam pela cidade. O Rio de Janeiro também é visto de um jeito diferente do que costuma aparecer na TV: os cenários mais urbanos serviram de locação e funcionaram como um autêntico laboratório de pesquisa comportamental para as equipes da série.

Diante de tanta informação compartilhada precocemente na internet, expectativas criadas e dúvidas constantes, os autores Alexandre Machado e a saudosa Fernanda Young, que faleceu precocemente, logo após a conclusão desse projeto, põem em questão a sobrevivência da paixão nos dias de hoje através de um humor de identificação, apresentando os pequenos e grandes dilemas das relações atuais. “Pode ser que os relacionamentos pós-redes-sociais sejam mais sinceros, pois não há mais como se ter segredos, acabou a privacidade”, disse em março de 2019, a autora Fernanda Young. 

Seguindo a linha vintage, a produção de arte e a cenografia se inspiraram em objetos de colecionadores para compor o universo dos protagonistas. O quarto de Enzo, um cara neurótico, metódico e introspectivo, por exemplo, é repleto de carrinhos, CDs, games, jogos de tabuleiro, pôsteres de super-heróis e histórias em quadrinhos. A personalidade do programador, aficionado pelo mundo nerd, se traduz no arranjo dos elementos de seu ambiente.  

Rita, por sua vez, é uma mulher multitraumatizada, cuja família é a principal causa de seus dramas. Os fracassos nas investidas amorosas também afetam consideravelmente sua autoestima.  Em seu canal na web, ela encontra uma maneira de externar essa condição. Os vídeos são gravados em seu quarto, ambiente lotado de elementos das várias fases de sua vida, mas que expressam, principalmente em quadros e paredes, sua busca atual por liberdade e por sua identidade.

A história traz diálogos supersinceros nos quais a dupla Rita e Enzo mostra como um casal “bugado”, com dificuldades de se enquadrar, encara um mundo de realidades distorcidas, adequadas ao padrão virtual. A seu lado, os outros dois jovens casais – cada qual com seus medos e desejos típicos do mundo atual – vão embarcar numa aventura para encontrar o pai de Rita e, assim, ajudá-la a superar os traumas de um passado mal resolvido e de um presente conturbado. Juntos, Enzo, Rita, Valdir, Brita, Suzete e Hélio vão questionar os limites da interação nos dias de hoje e atentar para as ciladas da vida em rede. Quem não vai facilitar a missão dos seis é Dolores, a controladora mãe de Rita, que se enfia na Kombi anos 70 e parte rumo a Maricá com o grupo.

Destaque para a atuação de Luis Lobianco e Clarice Falcão. Na trama, Enzo precisa lidar com a complicada missão de dividir o apartamento com Valdir e sua namorada Brita, dois adeptos do nudismo, sem nenhuma noção de limites. 

Juntos, os personagens vão questionar os limites da interação nos dias de hoje e atentar para as ciladas da vida em rede. Na Globo, os episódios de “Shippados” serão exibidos nas noites de terças-feiras. A série é uma obra de Alexandre Machado e Fernanda Young e teve direção artística e geral de Patricia Pedrosa e direção de Renata Porto d’Ave e Ricardo Spencer.
 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
27 de Fevereiro, 2021
Publicação de novo decreto e regras evitou condenação no TJ - 4
27 de Fevereiro, 2021
Prefeito faz nova regulamentação e evita uma semana de fase vermelha - 24
27 de Fevereiro, 2021
Escola particular paralisa as atividades com 4 alunos confirmados com o vírus - 23
27 de Fevereiro, 2021
Aniversário terá entrega simbólica de obras e live com artistas locais - 26
24 de Fevereiro, 2021
Em 4.ª feira com tendência de alta de internações, Olímpia vai de 43 para 47 hospitalizados, 21 em UTI - 243


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       


















Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites