iFolha - Aumenta para 4 o número de crianças que podem ter sido abusadas em Cajobi

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 23 de Janeiro de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 20/01/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 17 de Novembro, 2019 - 21:37
Aumenta para 4 o número de crianças que podem ter sido abusadas em Cajobi

O delegado Fernando Cezar Galetti instaurará inquérito policial para apurar as denúncias.

Por determinação do delegado Fernando Cezar Galetti será instaurado inquérito policial, na delegacia de polícia de Cajobi, para apurar denúncias de quatro mães que afirmam que seus filhos, com idades entre dois e três anos, sofreram abusos sexuais em uma creche no município de Cajobi.

Inicialmente, na sexta-feira, dia 8, três mães registraram boletins de ocorrência na Polícia Civil de Cajobi. Esta semana mais uma queixa foi registrada, totalizando quatro vítimas até agora. Duas funcionárias da creche foram acusadas e estão afastadas pela prefeitura municipal de Cajobi.

De acordo com a polícia, as acusadas deverão ser ouvidas na próxima terça-feira, 19. Por enquanto, como é de praxe, todas as crianças foram submetidas a exame de conjunção carnal e atos libidinosos e não foram constatadas lesões. No entanto, segundo a polícia, estes exames apenas constatam se houve emprego de violência. Não detectam se aconteceu apenas bolinagem.

Nos registro policias do dia 8, as vítimas são um menino de 2 anos e duas meninas de 2 e 3 anos. A mãe do menino declarou que o filho há oito meses reclama de dores no anus e que no último mês teria começado a ter sangra­men­to. A criança teria afirmado aos pais e conselheiros tutelares que a tia da escola “enfiou” o dedo no órgão que “doeu muito”.

A menina mais nova teria relatado o suposto abuso à avó e dito que as duas tias colocaram o dedo no órgão genital dela. A criança, segundo a mãe, queria parar de ir à escola.

 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
20 de Janeiro, 2020
Felizes - 85
20 de Janeiro, 2020
Uma fruta muito poderosa - 139
20 de Janeiro, 2020
A rainha da sofrência lançou o single “Graveto” - 119
20 de Janeiro, 2020
O filme Dor e Glória já está disponível! - 119
20 de Janeiro, 2020
Torta de Maçã - 82


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       




















Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites