iFolha - Arantes mostra o seu inconformismo com os rumos da investigação policial

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 18 de Abril de 2021
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 15/04/2021
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA


Olimpia, 06 de Abril, 2021 - 18:14
Arantes mostra o seu inconformismo com os rumos da investigação policial

BOMBEIRO INCENDIÁRIO!
Editor da Folha, em entrevista à TV Democracia, questionou os pontos falhos do inquérito. Como acreditar que alguém que joga três celulares em um rio não esteja querendo evitar que se chegue ao (s) mandante (s) do crime.



O jornalista José Antônio Arantes, editor da Folha, do site iFolha e da Rádio Cidade de Olímpia, foi entrevistado no início da manhã de sexta-feira, 02, no programa TV Despertador, da TV Democracia, no YouTube, pelos jornalistas Flávio Panunzio e Florestan Fernandes Jr, onde detalhou a situação preocupante que está vivenciando após a descoberta e a não decretação da prisão preventiva do bombeiro incendiário que confessou ter ateado fogo no prédio onde trabalha e reside.

O jornalista colocou o que entende serem os pontos falhos e comprometedores no depoimento do bombeiro incendiário Cláudio José Azevedo de Assis, o Cláudio Báia, que além de ter colocado que poderia ter atentado contra um político (que até o delegado não descarta que seja o atual prefeito), praticamente comprovam, entre outras coisas, que ele não agiu por conta própria e teve um mandante ou um grupo de mandantes por trás de seu ato criminoso.

Como acreditar que alguém que joga três celulares em um rio não esteja querendo evitar que se chegue aos seus contatos e, portanto, aos que trabalharam junto para a consecução deste verdadeiro ato de terrorismo contra a liberdade de imprensa e a própria democracia?

Fábio Pannunzio: Você está mais tranquilo agora, pelo menos?

Arantes: Olha, não sei se eu estou mais tranquilo ou se ficou pior, porque ao descobrir quem colocou fogo, descobriu-se que foi um bombeiro municipal, 25 anos trabalhando na função. Aí você vai no Face dele e tem um histórico claro de ser um negacionista, até de ter tendências fascistas. Então, você fica preocupado com isso. Outro ponto é que, com certeza, tem um mandante e, o que é pior, o delegado não pediu a preventiva dele.

TIVE QUE IR DORMIR
NA CASA DE UM PARENTE

--- Então, sem segurança tive que ir dormir na casa de um parente. Abandonar minha casa. Então, não sei se ficou pior ou melhor, pois  como eu vou explicar para a minha netinha, que um cara que foi ensinado, foi treinado a salvar vidas em condições de incêndio, foi quem colocou fogo na minha casa, e está solto. Esse é problema! E o mandante, ainda não se chegou até ele. Agora, eu sei que o delegado tem as suas suspeitas, mas não se chegou a ele.

Florestan Fernandes Jr.: Então assim, quem bota fogo, é o cara que deveria apagar o fogo? Então olha só a doença dessa pessoa, como deixam essa pessoa solta. Então, certamente esse delegado deve ter uma tendência negacionista. Deve achar o Bolsonaro o máximo, deve concordar o que estão fazendo com o país. É um absurdo! Primeiro, ele não está detido e a investigação não levar aos mandantes, e também é um absurdo que a polícia não garanta a sua segurança na sua casa. Você virou um assunto nacional, estão todos falando sobre o que aconteceu aí, e o delegado na maior cara de pau, libera o sujeito, como assim?

Arantes: E ontem, Florestan, só para complementar, o delegado numa entrevista coletiva, disse que não garante a segurança de ninguém. Eu não sou prefeito, não sou governador, você pega o governador do estado de São Paulo, ele saiu da casa dele e foi para o palácio, ele está sendo ameaçado. Eu não tenho segurança pessoal. Eu não tenho condições financeiras de contratar um guarda para ficar a noite na frente da minha casa. Eu moro no centro da cidade e numa casa que é antiga, e está sujeita, se houver um incêndio, de eu morrer queimado. Agora a grande questão é política: será que se a gente não tivesse com esse clima de ódio, com esse clima de intolerância, será que teria acontecido tudo isso? Será que essas pessoas radicais teriam saído da toca, e chegar a esse ponto de tentar matar uma família, dois idosos e uma netinha que vai fazer nove anos agora?

DELEGADO FOI VER MOTO
E CHEGOU A DESCARTAR O
BOMBEIRO COMO SUSPEITO

--- Outro ponto que é muito importante, é que o delegado chegou a querer descartar esse cara como suspeito. E eu fiquei até nervoso na frente do delegado, e disse que não, o senhor não pode fazer isso! Esse sujeito é suspeito, até porque esse cara logo após cometer o ato incendiário, pega o carro dele e sai da cidade e vai para o Espírito Santo, e a família ficou desesperada porque não sabia o que estava acontecendo com ele. No meu programa, cheguei até pedir para as pessoas que quem soubessem dele, desse informação pois a família estava desesperada. É um bombeiro municipal bastante conhecido.

--- A prefeitura agora instaurou um processo administrativo, para investigar o caso, e já afastou ele. Ele é concursado no município, e está emprestado ao Corpo de Bombeiros de Olímpia.

Florestan Fernandes jr.: Ele pegou o vírus do bolsonarismo, esse é um vírus que está destruindo o país, porque como ele, outros homens que trabalham na segurança pública estão contaminados. Não sei como a gente vai fazer porque está precisando de uma vacina poderosa para a gente reduzir esse ódio todo, que esse pessoal da extrema direita mundial acabou trazendo pro Brasil e aqui tem seus representantes que já manifestavam esse pensamento de extrema direita, e acabou levando para pessoas simples, trabalhadores e é um caso muito, muito grave que preocupa muito porque imaginar que um bombeiro, é a mesma coisa que você imaginar que um médico, cometa um crime por questões ideológicas, um médico que tem que salvar vidas, e ir lá e matar uma pessoa, matar um paciente, tirar a vida de alguém é inconcebível imaginar que nós estamos chegando a esta situação. É muito ruim isso tudo.

DELEGADO ESTÁ AGINDO
EM COLABORAÇÃO
COM O BOMBEIRO?

Fábio Pannunzio: O Zé, você sentiu do delegado uma atitude de colaboração com esse bombeiro? Outro dia o Florestan estava comigo aqui em baixo e a gente tentou ir num parque e estava fechado, e um policial da guarda florestal falou: “Culpa do Dória!” É uma manifestação de engajamento político para proteger esse bombeiro por parte de delegado.

Arantes: Não posso dizer isso com certeza, porque o delegado ao longo das investigações mostrou transparência para a gente. Quando vi que ele não pediu a prisão provisória, nomeei dois amigos meus como advogados, para entrar no inquérito, para eu ter acesso ao inquérito. Porque não tinha acesso até então ao inquérito fisicamente, e ele negou num primeiro momento esse acesso aos advogados, mas ao longo de todo o processo investigativo, não posso reclamar de nada dele. Ele sempre se mostrou atuante, se comunicou com a gente o tempo todo.

--- Minha filha teve contato com ele direto, passando as informações que recebia. Inclusive esse suspeito, a gente teve uma informação logo depois que ele fugiu de uma pessoa que conhece ele e outra pessoa que é ligada a ele e que estava ameaçando a gente na internet. Então nós passamos todas as informações. Nós fizemos uma investigação paralela.

PENSOU EM MATAR
O PREFEITO TAMBÉM

Fábio Pannunzio:  É o advogado ou é o dono do bar que te persegue?

Arantes: Não vou citar pra você, mas está ligado ao grupo, entendeu? Não tem prova para poder acusar as pessoas que são suspeitas. Agora, só não entendo como deixar o cara solto, porque tem uma outra coisa Pannuncio, no depoimento do cara, você sabe o que ele cita? Que ele em razão da situação das medidas restritivas tomadas inclusive pelo prefeito da cidade, ele sentiu vontade de matar o prefeito local. Ele sentiu vontade de matar o prefeito. Uma pessoa que é ligada à polícia confirmou pra o próprio prefeito que no interrogatório ele disse que sentiu vontade de matar o prefeito. Mas no interrogatório, no termo do interrogatório, suprimiram, e ficou: “Senti vontade de matar um político”. Mas o investigador que presenciou a coisa que falou para o prefeito. Então a situação é mais complexa do que a gente pensa.

Fábio Pannunzio: Olha a complexidade da coisa, o cara é bombeiro, é funcionário público, tem o salário dele religiosamente depositado na conta, e o cara por voluntarismo sai para matar uma família. Dizendo que queria matar um político. Isso é um total absurdo! Isso é o clima que vai ficar no Brasil, viu gente. Não tem muito pra onde correr não, viu Zé. Como você contém uma onda como essa?

Florestan Fernandes Jr.: Tem uma live que você colocou no início do programa, do Bolsonaro, atacando a imprensa brasileira, você abriu o nosso tele jornal hoje, com o Bolsonaro nominando: Revista Época, Folha de São Paulo, O Globo, Estadão, ele joga esse pessoal dele contra a imprensa. Contra a informação de qualidade, ele quer o quê? Ele quer mentira. Ele quer que a fakenews continue levando essas pessoas ao erro, a cometerem o erro, isso é crime. Gente cadê a CPI? Cadê o impeachment do Bolsonaro? É impossível você ter uma sociedade que fique refém de mentiras e de fakenews, esse ataque que está sendo feito a imprensa aí em Olímpia tem a ver com o discurso de Bolsonaro, é isso aí. Esse pessoal que segue os negacionistas e as mentiras que são divulgadas por esse pessoal por esse gabinete do ódio, estão cometendo atos totalmente impensáveis para uma sociedade civilizada.

BOMBEIRO NÃO TINHA
CONDIÇÕES DE BANCAR
VIAGEM PARA O ES

Arantes:  Deixa eu colocar dois pontos. Primeiro, no interrogatório dele, quando ele dá o depoimento, uma coisa que me deixou assim meio suspeito é que o delegado vai de manhã na casa do cara, apreende a moto, uma mochila que está lá e o cara não está na casa dele. Aí o delegado sai da cidade e vai fazer um plantão em Barretos que é uma cidade aqui próxima, e o delegado que fica no lugar dele vai atrás do sujeito, só que antes de ir atrás, o advogado do cara já liga pro delegado e diz que vai se apresentar.

--- Só que ele no se apresentou, constrói uma atenuante a mais para que não se peça a provisória. Aí vai se apresenta com um advogado que deve cobrar até R$ 5 mil para acompanhá-lo. O bombeiro ganha R$ 4 mil por mês, tem dois filhos, tem que sustentar a casa desses filhos. Mas nós já confirmamos com pessoas ligadas a ele que não tinha condições financeiras de sair de Olímpia e ir para o Espírito Santo em fuga.

--- Outra coisa, ele fala que jogou três celulares dele num rio no caminho. Bom, se você tem três celulares e você os joga num rio, significa que você está escondendo alguém, que tem um mandante. Então, está comprovado que ele não agiu sozinho. Essa é a minha maneira de entender. Eu entendo que ele não tinha a possibilidade de ter agido sozinho, ele agiu em cima de um grupo, e esse grupo com certeza também pelo que a gente sabe e que a gente não tem provas, mas esse grupo também é extremista, também é negacionista, também é fascista. Será que o nosso Presidente de República não tivesse instalado esse clima de ódio, esse clima de intolerância, nós teríamos uma situação como esta?

--- Como que vou garantir a segurança da minha família, da minha netinha? E o delegado na coletiva falou que não garante a segurança de ninguém. Porque foi perguntado sobre a minha segurança. Só que logo depois, numa outra pergunta, disse que também teme pedir a prisão do bombeiro incendiário, porque se esse cara for para a prisão pode sofrer agressões, e até ser morto.

ESSAS PESSOAS TÊM QUE
SOFRER APUNIÇÃO DEVIDA

Florestan Fernande Jr.: Isso tudo, Fábio, tem que ser esclarecido, porque tem que ser punido exemplarmente. Essas pessoas têm que sofrer a punição devida. Acho que a OAB deveria entrar nessa história. Acho que os parlamentares de São Paulo deveriam levar esse caso para Brasília para o congresso nacional discutir abertamente o que está sendo feito contra a imprensa no país e cobrar das autoridades uma ação imediata e a punição desses grupos clandestinos que estão se formando no país. E acho que não dá para você ficar assistindo esse tipo de organização criminosa surgir em cidades do interior do país porque estão no interior e daqui a pouco vão estar na capital. A gente sabe como começa, mas a gente não sabe como termina. Acho que é mais do que urgente que a OAB, e a os parlamentares de São Paulo levem isso à Brasília e tentem desmontar esse gabinete do ódio. E tente desmontar esse esquema de fake news, que está trazendo todos esses problemas para o país.

Arantes: Tem que proibir o presidente também de fazer live. Porque na verdade, teria que interditar ele.  Ele tem traços de psicopatia.

Fábio Pannunzio: É que vão se tornando ameaças concretas, como vocês estão vendo aí.

Arantes: Posso só colocar mais um ponto que eu acho interessante na questão do depoimento do bombeiro incendiário? É o seguinte: como que um bombeiro que é treinado, que tem 25 anos de experiência, em apagar incêndio, vem e coloca incêndio numa casa? Ele disse que não sabia que tinha gente aqui dentro, mas tinha uma luz acessa que minha mulher deixar no corredor. Outra coisa, ele ouviu o latido dos meus cachorros no momento que ele jogou a gasolina, em baixo da porta, ele com certeza ouviu. Ele viu que tinha seres vivos dentro da casa.

--- Segundo ponto, como um bombeiro pode alegar que não sabe a intensidade do caos que pode causar? Porque aqui Pannunzio e Florestan, a minha casa é uma casa antiga, e do lado existe outra casa antiga e que é conjugada. Não existe separação, do lado direito e do lado esquerdo, que são três imóveis antigos da cidade, então simplesmente se a minha mulher não desce rapidamente e começa a apagar esse fogo, a gente não consegue apagar esse fogo, simplesmente o incêndio teria sido de grandes proporções e, com certeza, colocou realmente em risco a vida do vizinho que é um casal de idosos também, e de uma família do outro lado, que é uma mãe, um pai e dois filhos.

NÃO TENHO CONDIÇÕES DE
PAGAR R$ 5 MIL PARA
ADVOGADO ME
ACOMPANHAR NA DELEGACIA

--- Então a situação é totalmente dispare. O rapaz não tem condições de permanecer solto. Tem que ser preso. A gente vai tentar tomar todas as medidas legais e se o delegado não pedir essa preventiva, a gente vai tentar o Ministério Público, e se o Ministério Público não pedir, parece que existe uma possibilidade de a gente pedir. Os meus advogados de Olímpia estão vendo isso pra mim. Ele são meus amigos, estão trabalhando de graça pra mim, queria ressaltar isso, porque eu não tenho condições como o bombeiro incendiário de pagar um advogado que cobra 5 mil reais para ir lá na delegacia acompanhar o cara, para tabular uma versão dessas. Esse advogado vai alegar que o cara fez isso num momento que ele não estava na sua melhor condição mental como um ataque psicótico ou surto, então a gente vê pelo depoimento que ele vai usar essa linha de argumentação.

Fábio Pannunzio:  Boa sorta pra você! Esperamos que essa polícia aja como tem que agir. Que o delegado cumpra a sua função, que o Ministério Público também, pois não é possível tolerar eventos como esse, como se fosse uma coisa da normalidade democrática do país. Então, boa sorte pra você e vamos ver no que vai dar e vamos continuar seguindo.

Arantes: O pior, Pannunzio, só para finalizar, é que esse próprio delegado parece não perceber que se a democracia nossa for pro brejo, como diz, ele também pode sofrer. Ele tem filhos, tem parentes. A situação, na verdade, não é de boa sorte pra min. É boa sorte para todos nós brasileiros que vivemos esse momento tão difícil da nossa democracia. Um abraço gente, obrigado por tudo.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
15 de Abril, 2021
A mortes por covid e Barretos abrindo bares, restaurantes e igrejas, foram os principais temas do Cidade em Destaque de quinta-feira, 15.04.2021 - 84
15 de Abril, 2021
Bombeiro incendiário teve que ser escoltado para prestar depoimento na prefeitura e cinco entidades representativas de jornalistas formam comissão para acompanha caso do editor da Folha, foram os temas do Cidade em Destaque de quarta-feira, 14.04.2021. - 127
15 de Abril, 2021
Cidade em Destaque de terça-feira, 13.04.2021 comentou a intolerância e ódio incontidos: advogados jogam ácido em carro de outro advogado. - 132
14 de Abril, 2021
Com 06 mortos em 03 dias Olímpia vai a 18 em abril e 172 na pandemia - 285
14 de Abril, 2021
Casos confirmados de covid caem de 50 para média de 30 por dia - 153


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       














Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites