iFolha - Livro; A Vista de Vários Pontos

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 24 de Maio de 2020
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 24/05/2020
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 06 de Abril, 2020 - 17:26
Livro; A Vista de Vários Pontos

A Vista de Vários Pontos
Tudo está certo de alguma forma, só depende do ponto de vista. Essa é máxima do emocionante livro “A Vista de Vários Pontos”, da autora paulista Diana Barros. Produzido a partir das experiências pessoais, a obra relata a jornada e os aprendizados práticos da escritora que não desistiu de viver. Após um longo processo de autoconhe- cimento e despertar da consciência, Diana compreendeu que o caminho para uma vida mais plena e saudável é a capacidade de enxergar a vida com lentes diferentes das quais você a observa em um primeiro momento. A obra revela esse segredo e sugere ao leitor exercícios práticos de como rever os seus pontos de vista constantemente. O livro utiliza ainda simbologias: a capa, por exemplo, representa a habilidade de escolher a forma com que cada um observa o mundo. A posição usada do braço, como se fosse de quem está com o livro na mão, reflete a necessidade de reavaliar o ponto de vista escolhido para observar a própria vida. Idealizado depois de ouvir que suas descobertas renderiam um livro, Diana reuniu todas as anotações e registros pessoais e, em menos de seis meses, finalizou a produção. Narrada em primeira pessoa, o livro entrelaça os aprendizados de Diana a partir da luta contra o suicídio, com orientações para os leitores ao longo de sete capítulos. Ao descrever situações pessoais, a autora ajuda as pessoas a lidarem com problemas cotidianos por meio do autoconhecimento, positividade, autoestima, direito à liberdade, entre outros. Com 128 páginas, o livro é uma edição independente.

 

Marte Morreu Porque os Marcianos Quiseram
A obra é uma torrente emocional pelos corredores do poder, retratando as desventuras do advogado Ricardo Santos, um misto de Macunaíma, solto na Selva Urbana, que se enreda por completo nas tramas do Mundo Material. Tal qual um anjo caído, após ser expulso de casa por seu pai repressor, personificação da classe média da zona sul carioca, adepto da tradição, propriedade e família, inicia sua jornada em um mundo recheado de personagens de má índole, canalhas, charlatões e viciados, para compreender que há esperança na humanidade, pois, mesmo diante de toda a miséria revelada, encontra também pessoas altruístas que são luz no caminho enquanto perambula pelos meandros da vida. A escalada ao topo da pirâmide social, compreendendo o sistema de freios e contrapesos, leva o herói ao encontro do seu destino, cujo desfecho será um “encontro de contas” consigo mesmo, cercado por todos aqueles que contribuíram, para o bem ou para o mal, à sua completa (de) formação como Homem. O título do livro embora apocalíptico, como se derivasse de ciências ocultas, nada mais é do que a revelação metafísica da descoberta que marcianos somos todos nós (apesar de não ser um tratado extraterrestre, pelo contrário, e nem alinhado às teorias da conspiração) e que o Planeta Marte, que é a nossa própria vida, pode muito bem ser objeto de construção ou total destruição (não é autoajuda também!), pois, basta enveredarmos para um dos dois caminhos (sem ser maniqueísta ou fatalista!). Com 254 páginas, o livro é da Editora Chiado.

 

Doidas no Divã
Cada uma de nós carrega uma história de vida única e pessoal. Cada uma com seus sonhos e vontades... Mas, muitas vezes, acabamos editando, filtrando ou escondendo partes preciosas dessa história. Mulheres que reinventam sua história e lutam pelo que acreditam se arriscam e, muitas vezes, são chamadas de teimosas, iludidas e, até mesmo, de perdidas. Em “Doidas no Divã”, Cris Linnares revela, de forma leve e irreverente, que a ideia é sair da normalidade e dá dicas de como escrever uma história de vida tão única que todos ao seu redor vão olhar e dizer: “Essa aí é DOIDA mesmo!”. Em seu novo trabalho, Cris conta como descobriu pontos em comum em sua história de vida com a história de Moisés. Sim, o da Bíblia. E não precisa ser religiosa para ler este “Doidas no Divã”. “E foi então que, ao mergulhar na sabedoria contida nessa antiga história bíblica, passei a compreender mais a fundo a mente da mulher moderna, e me dei a liberdade poética de imaginar como se ‘Moisés fosse Mulher’! Doida, eu? Sim. E #Assumida”, afirma Cris. Ela apresenta, então, os cinco elementos que compõem o FATOR C.R.A.S.Y. (“Cansar”, “Reconhecer”, “Assumir”, “Seguir” e “Yes”) e como ele pode libertar dessa normalidade insana e empoderar para cometer a loucura de encontrar paz em uma vida estressada; sentir prazer em ser quem verdadeiramente somos e a deixar o potencial brilhar, ou seja: dar uma de Moisés e conquistar a sua Terra Prometida. A autora salienta que um dos objetivos deste livro é trazer, de forma bem-humorada, uma consciência maior em relação às prisões mentais que muitas vezes são impostas por nós mesmas. Cris Linnares é psicóloga, palestrante internacional, mãe e autora da aclamada comédia “Divas no Divã”. O livro é da Buzz Editora.

 

As Cinco Esposas de Nathan – As Guardiãs da História
Quer conhecer mulheres empoderadas? Tem cinco militares ativas que mandam e desmandam, e ainda conseguem tempo para amar, chorar e sorrir. Quer fantasia? Tem um reino feudal, onde o Rei envia a Princesa herdeira para uma colônia no espaço distante. Quer ficção científica? Temos naves invisíveis voando no hiperespaço mais rápidas que a luz, armadas com canhões desintegradores, pistolas sônicas, interferótipos e envelopadas por neutrinos. Quer mais ciência? Entenda paradoxos temporais criados apenas porque sabemos deles. Quer tabus? Saiba como é um casamento poligâmico entre seis pessoas onde não existe preferências nem competição. Ou como a fé faz milagres quando tudo está perdido. Quer ação? Tem fuzileiros se caçando e se matando em florestas, terroristas combatidos em terra, no ar e no espaço, perseguição e bloqueios por esquadras espaciais, acrescentado de traições e disputas sanguinárias. Quer alienígenas? Está cheio de lagartanos, reptilianos, kerns, transmorfos, tarântulos, espectros e outras espécies, amigos e inimigos. De todas as cores, tamanhos, docilidade e ferocidade. Quer romance? Descubra como a deusa manipula todos para se alimentar de amor, desde a pré-história. E isso é só o primeiro volume. Ainda vem muito mais por aí. “O que separa a ficção da realidade é o fator tempo”, profetiza Clóvis Nicacio, escritor paulistano. Autor de “As Cinco Esposas de Nathan – As Guardiãs da História”, Clóvis tem certeza que no futuro amar mais de uma pessoa será uma situação normal. A obra, que envolve fantasia, ficção científica, ação, alienígenas, viagens no tempo e romance, chega para quebrar um dos maiores tabus sociais: o poliamor. O livro é da Editora Casa do Escritor.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
24 de Maio, 2020
Ajudante geral confessa o crime e diz que estava sendo ameaçado de morte - 71
24 de Maio, 2020
Delegados recorrem para poder retomar investigação sobre fugitivo morto pela PM - 61
24 de Maio, 2020
Homem preso por importunação sexual contra adolescente no bairro São José - 77
24 de Maio, 2020
Comandante da GCM rebateu as críticas do vereador e mostrou resultado da operação - 50
24 de Maio, 2020
Prefeitura rechaça e classifica como leviana a manifestação de vereador sobre bloqueio - 180


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       








Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites