iFolha - Olímpia, a terra das intrigas?

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 14 de Dezembro de 2019
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 09/12/2019
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Cidade em Destaque
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 01 de Setembro, 2019 - 16:47
Olímpia, a terra das intrigas?

Do Conselho Editorial

Olímpia parece ter entrado pela porta dos fundos na história recente assumindo como parte da população brasileira a visão da baixaria e do esculacho.

As relações entre as pessoas e as autoridades, em vários planos, nos últimos tempos tem se dado pela agressividade, mentira, falta de ética, desrespeito e de um baixo nível nunca dantes visto por aqui.

Poucos são os assuntos que não orbitam pela seara da violência e distorção dos fatos.

O pior é que, dividida, entre a realidade, a noção de civilidade e o exagero, hipocrisia e alienação, parte da população acaba por optar pelo que pode ser pior para a construção de uma sociedade em que impere o respeito de um ser humano pelo outro.

A lógica que distingue o ser humano dos animais é exatamente o fato de fazer uso da fala e do pensamento e através da voz expressar o que pensa a respeito do mundo.

No entanto, o que se está a observar nas relações expressadas pelo povo e pelo poder público, representado na questão ou por eleitos ou por puxa sacos, é de uma vilania e vulgaridade sem igual, afora, lógico, algumas exceções.

Os debates levados às vezes, muitas vezes, na Tribuna da Câmara Municipal chegam a enojar de tão baixo o nível das discussões que resvalam geralmente para o pessoal e em nada contribuem no sentido de melhorar a vida da população.

Por outro lado, quando alguma crítica é tecida ao Executivo em razão dos maus serviços prestados à comunidade, os bate-paus ligados ao primeiro mandatário, as penas e bocas de aluguel, gastam papel na imprensa escrita, esgoe­lam na falada e criam calos nos dedos atacando os que apontam falhas da administração.

E o nível das argumentações e o desprezo por quem tem direito a expressar sua insatisfação com o desgoverno reinante é brutal vindo acompanhado de impropérios e acusações contra quem deseja que se melhore a qualidade de vida do habitante local.

Há que se escrever, para não premiar a parcialidade, que parte da população envolvida neste clima de beligerância, fofocas, intrigas, fuxicos, palavrões, denúncias, ataques, acaba por assumir que o ataque baixo e vulgar ao indivíduo e não a questão tratada pode dar mais resultado que a discussão educada, elegante, civilizada e o que deveria ser um bom debate é transformado em barbárie.

Nos últimos dias surpreendeu a comunidade uma verdadeira guerra travada entre postulantes ao cargo de Conselheiros Tutelares que a exemplo do que vêm ocorrendo no Legislativo acabou se transformando em caso de polícia.

Pessoas que se propõem a cuidar de menores em situação de vulnerabi­lidade se digladiando em praça pública quando deveriam estar trabalhando o convencimento das pessoas em relação as suas propostas, buscando votos através das boas alternativas apresentadas para o curso do mandato, caso eleitas, se atracando como primitivos seres das cavernas.

Não se trata aqui de avaliar quem possa estar certo ou errado neste embate, pois isto cabe a quem de direito investigar e concluir, porém é evidente que o nível das discussões demonstra despreparo, falta de noção da importância e da dimensão do cargo a ser ocupado por parte do que por ventura estiver equivocado nesta guerra desnecessária e sem nexo.

O que fica como aprendizado é que as relações se esgarçaram e que até a eleição para compor o Conselho Tutelar foi contaminada pelo vírus da violência e da tentativa da intimidação.

Tudo isso pode ser a demonstração cabal de que a sociedade doente necessitada de tratamento urgente para recuperação de sua saúde cívica.

 

 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
09 de Dezembro, 2019
Não é fácil para ninguém - 325
09 de Dezembro, 2019
E vem chegando o Verão - 387
09 de Dezembro, 2019
Kevin O Chris libera a primeira parte do DVD “Evoluiu” - 341
09 de Dezembro, 2019
O filme Uma Esperança de Natal já está disponível! - 331
09 de Dezembro, 2019
Bolo de Nozes com Passas e Canela - 326


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       
























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites