iFolha - Um perigo de derramamento de sangue que esqueceram de calcular?

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 22 de Setembro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 17/09/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 08 de Abril, 2018 - 18:56
Um perigo de derramamento de sangue que esqueceram de calcular?

GENTE, ...

... mais uma vez, este colunista inicia sua reflexão sabática ponderando que tem a mesma formação moral católica portuguesa que a maioria dos olimpienses e dos que aqui aportaram, claro, educados na mesma época, e que carregam consigo, os mesmos conceitos de certo e errado vigentes no momento educativo em que viveu.


CLARO, ...

... vindo de famílias burguesas, carrega consigo os mesmo preconceitos contra negros, pobres e pessoas que não seguem as regras estabelecidas por uma moral reacionária.

E É SIMPLES ...

... a gente perceber o quanto é hipócrita. É só lembrar o passado, ou mesmo tentar repensar os conceitos que carregamos. Por exemplo: “Não tenho nada contra os homosexuais, mas não suporto ver duas pessoas do mesmo sexo se beijando. Me causa nojo!”.

OU MESMO: ...

... “quando não faz caca na entrada, faz na saída”. “Pobre é pobre porque não gosta de trabalhar. É tudo vagabundo!”. “Mulher no volante, perigo constante!”.

SE FORMOS ...

... ficar “chupando” o cérebro, vamos ocupar todo o espaço da coluna. Somos preconceituosos sim. Fomos formados por uma moral oriunda de uma elite portuguesa decadente e de uma igreja também portuguesa que acompanhava os costumes da época. Ao depois, tivemos a contribuição de outras etnias também atrasadas, patriarcais e preconceituosas, como a italiana, a segunda em número de pessoas que aqui aportaram e formaram este país multirraças. Claro, a maioria também tem alguma gota de sangre afro (este colunista, além de afro, também tem sangue de índio).

TUDO ISSO ...

... para dizer, que, aliado a uma educação porca e totalmente ineficiente, construímos um país em que grassa o ódio e a imbecilidade, já que mais de 80% da nossa população não sabe ler e interpretar um texto e, portanto, está sujeita à dominação daqueles que conseguiram ter um pouquinho mais de tutano no cérebro.

TAMBÉM ...

... para expressar que, por não termos uma formação ideológica definida, por sermos seres sem linguagem e de pensamento reduzido, ficamos sempre a um passo da barbárie, do ódio, da obtusidade de pensamento. Não conseguimos raciocinar e enxergar as circunstâncias e os diversos lados que a nossa verdade necessitaria captar para podermos vivenciar e chegar o mais próximo de uma realidade impossível de se alcançar.

NOSSA ...

... falta de cultura nos leva a ser verdadeiros fantoches dos “fake news”, das verdades absolutas ou mentiras deslavadas que agora despencam pelas redes sociais, fazendo com que sejamos verdadeiros zumbis, que ao invés de sangue, nos alimentamos do consumis­mo que sustenta uma minoria que quer preservar a todo custo o seu domínio e subverte com suas bandeiras mentirosas, as outras camadas, criando a falsa ideia de que do jeito que está todos terão chance de poder estar entre os abastados.

NUM PAÍS EM ...

... que cinco por cento fica com 90% das riquezas que são produzidas e os outros 95% disputam a tapa os restantes 10% do que sobra, não dá para acreditar que tenhamos condições de sair com brevidade de estado de total burrice.

E AÍ ESTE ...

... colunista é obrigado a ouvir de sujeito com formação superior, que dirige a casa que deveria ser do po­vo, que tem uma doença terminal e contagiosa chamada ateísmo. E que ele, no limbo de sua formação cristã (demonstrando raciocinar apenas pelo umbigo) não pode discutir com quem não pertence à sua classe (a dos crentes) que deve ser daqueles que creem e acham que isto basta. Mas não seguem o que é pregado e o que dizem acreditar.

COMO SE ...

... a simples negação do paraíso e a crença de que se tem que lutar pela construção de uma vida digna aqui mesmo, fosse fator preponderante para o sujeito não ser cidadão. Talvez, o paraíso seja a desculpa para tanta corrupção, tanta maldade, tanto ódio, tanta gente tentando aproveitar da imbecilidade alheia.

ORA, ...

... este ser agnóstico prefere viver aqui na terra mesmo, pregando o amor incondicional e lutando, fazendo aquilo que muita gente se esquece, pensando social, fazendo justamente o que os políticos atualmente não fazem.

MAS, A INTENÇÃO ...

... é a de mostrar quão imbecis “nosotros” somos.

CAIMOS ...

... no “Chamado Golpe Silencioso” que foi a criação deste ódio contra a esquerda e, principalmente contra o PT, que foi criado pelo PSDB, via Aécio Neves em conluio com o MDB de El Temeroso.

VIA INTERNET ...

... sites de relacionamento, com o uso de “robots”, inteligência artificial e o escambau, os conservadores, que querem continuar acumulando cada vez mais riquezas, mesmo que para isso, criem cada vez mais esfomeados, conseguiram fazer emplacar o ódio até dos pobres contra os chamados representantes da esquerda, que no Brasil não são compostos pela burguesia, mas por intelectuais ou menos iletrados que acreditam que é preciso distribuir a renda como forma de se obter o ideal.

CONSEGUIRAM ...

... tanto, que fizeram milhões de pessoas acreditarem que é preciso fortalecer o capital e acabar com as garantias do trabalho. Fundiram na cabeça da população que esta tem que trabalhar cada vez mais para poder ser alguém e a não acreditar nestas lorotas de que se tem que ter educação de qualidade, saúde digna e as mesmas oportunidades em todas as classes.

CONSEGUIRAM ...

... através da manipulação de mentes fazer a grande massa aceitar passivamente a sua condição de escrava. Morro de rir quando vejo alguém chamar o outro de vagabundo, como se fosse quem não gostasse de trabalhar.

ORA, SENHORES ...

... este serviçal do ócio endêmico fuxicou a vida inteira, nunca trabalhou. Viveu o gozo contínuo e pleno da vida, sem ser escravo de ninguém, apenas daquilo que entendia que refletidamente considerava ser o ideal. Portanto, vagabundo sim senhor, convicto.

MAS, ...

... ver um escravo chamar o outro de vagabundo é por demais risível.

O SUJEITO ...

... passa a vida inteira produzindo como se fosse máquina, pela mera sobrevivência. Tanto que tem que se embebedar, se drogar, todos os finais de semana para esquecer sua condição de escravidão total durante grande parte de toda a sua vida, até ser jogado na mendicância de uma aposentadoria que não paga nem os remédios necessários para amainar as dores do esforço desprendido durante uma vida de esforço repetitivo. Ainda assim acredita que a situação está correta do jeito que está e acaba sendo engambelado pela propaganda dos chamados liberais. Isto não é risível, é preocupante.

AI A GENTE ...

... vê um bando de idiota contagiado pela propaganda ultradireitista escravi­zan­te, detonando seus irmãos e rindo da desgraça alheia.

CLARO, ...

... ninguém é contra a aplicação da lei, nem contra a prisão de quem cometeu crimes. Mas existe um princípio constitucional que diz que na dúvida, sempre se favorece o réu. E não tem como não se duvidar que as coisas foram orquestradas não para prender um corrupto, mas sim para não deixar que um pobre, analfabeto e que não atende aos anseios dos donos do capital, volte ao poder.

NA VERDADE ...

... a condenação e a provável prisão de Lula não foi precedida de julgamentos iguais aos que são proporcionados aos amigos da direita. A rapidez com que aconteceram mostra apenas que o que se quer não é que um condenado cumpra a sua pena, mas simplesmente que uma pessoa que ainda tem o apoio de pelo menos 30% de todos os brasileiros possa chegar ao poder.

CONSEGUIRAM ...

... vender a bandeira de que o Brasil precisa se aprofundar no neolibe­ralismo. Precisa de uma economia forte em que se privilegie o lucro e se solidifique os mecanismos escra­vagistas da má distribuição de renda via educação não inclusiva e que dê oportunidades iguais para todos.

E A PROVA ...

... de que o que está em andamento não tem nada a ver com os princípios democráticos de igualdade e justiça foi a sentença do rei Sergius Mourus. Deve ter sido inédita em todo o mundo. Antes de saírem publicados os acórdãos. Antes de se findarem os prazos que normalmente se aplicam ao caso, em menos de 24 horas, no desejo de mostrar que é o todo poderoso, mas cumprindo o ofício de influenciar nas próximas eleições, expediu ordem de prisão, alegando até que o recurso que ainda poderia ser impetrado no próprio TRF4, simplesmente, por ser do PT, não tem direito.

NÃO DÁ PARA ...

... deixar de entender, tendo um mínimo de formação jurídica, que o que está se vendo no país hoje é um verdadeiro tribunal de inquisição e uma caça às bruxas, ou ao único que, após todas as acusações que fizeram contra ele, continua tendo chances de se eleger presidente pelo voto e tendo a seu favor simplesmente mais de 60 milhões de brasileiros.

O QUE TEM ...

... de se esperar é que esta revolução da elite não tenha sido tão burra e inconsequente ao ponto de provocar um derramamento de sangue. O ódio gritante criado artificialmente pelas novas técnicas de manipulação do inconsciente coletivo pode ganhar as ruas e, como na guerra de torcidas, a violência imperar numa proporção que não se pode antecipar.

José Salamargo – aguardando ansiosamente que entre mortos e feridos salvem-se todos e que voltemos a caminhar rumo ao Estado Democrático de Direito e ao Estado de Bem Estar Social. Somos todos farinha do mesmo saco e não podemos mais ficar estimulando o combate sanguinário entre nossos cidadãos. Educação e oportunidades iguais para todos já.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
17 de Setembro, 2018
Colhendo os frutos - 84
17 de Setembro, 2018
Óculos de sol: mais do que beleza, são uma necessidade! - 72
17 de Setembro, 2018
CD Baile do Nêgo Véio – Alexandre Pires chegou nas lojas - 60
17 de Setembro, 2018
O filme A Morte de Stalin chegou nas locadoras - 64
17 de Setembro, 2018
Patê de Queijo - 73


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites