iFolha - O livro Queria Que Você Me Visse já está nas livrarias

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 14 de Agosto de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 14/08/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 19 de Março, 2018 - 13:39
O livro Queria Que Você Me Visse já está nas livrarias

Fogo e Fúria
Com extraordinário acesso aos assuntos da Casa Branca, o jornalista Michael Wolff revela os bastidores do governo de Donald Trump, o presidente americano mais controverso da história. Graças ao contato privilegiado com o primeiro escalão do governo do país mais rico do mundo, o autor pinta um quadro assustador de despreparo, desorganização, assédios, vaidades e guerra contra a mídia (acusada de fabricar as ‘fake news’), contra o Partido Democrata e até contra o conservador Partido Republicano, do próprio presidente. Com base em mais de duzentas entrevistas, Wolff apresenta com riqueza de detalhes muitas revelações . “Fogo e Fúria” é um livro fundamental para entender o mundo da política contemporânea. Com 344 páginas, é um lançamento da Editora Objetiva



Primeiro Caderno do Aluno de Poesia
Em abril de 1927, terminava-se de imprimir a tiragem de trezentos exemplares do “Primeiro Caderno do Aluno” de poesia Oswald de Andrade. Tanto pela dimensão visual — com projeto gráfico de Tarsila do Amaral e “auto ilustrações do autor” — quanto pelo conteúdo revolucionário, a obra se consagraria como pioneira entre os livros de artista no universo da poesia brasileira.  Segunda coletânea de poemas de Oswald de Andrade, precedido por “Pau Brasil”, este volume reitera a máxima proclamada pelo autor no “Manifesto da Poesia Pau Brasil”: aqui está o poeta, com toda ousadia e radicalidade, vendo “com olhos livres”. Além da edição fac-similar, que reproduz o exemplar guardado na Coleção Brasiliana Itaú, do Itaú Cultural, o leitor vai encontrar neste envelope uma separata com o ensaio “Oswald, Livro Livre”, de Augusto de Campos, e “A Infância do Mau Selvagem”, texto inédito de Manuel da Costa Pinto. Com 64 páginas, o livro é um lançamento da Editora Companhia das Letras.



Queria Que Você Me Visse
Jonah Daniels vive em uma cidadezinha na Califórnia desde que nasceu. Há seis meses, com a morte de seu pai, toda a sua família teve que se adaptar: Jonah e seus cinco irmãos se tornaram responsáveis por manter a casa em ordem e cuidar do restaurante que o pai deixou. No começo do Verão, porém, a vida do garoto parece prestes a seguir um novo rumo com a chegada de Vivi Alexander. Vivi é apaixonada pela vida. Encantadora e sem papas na língua, ela se recusa a tomar um de seus remédios porque sente que ele reprime seu ímpeto de viver novas aventuras. E, ao encontrar Jonah, ela tem certeza de que está prestes a viver mais uma. Mas será que Jonah está disposto a correr os mesmos riscos que ela? De Lígia Azevedo, o livro tem 332 páginas e é um lançamento da Editora Seguinte.



Racismos
Revolucionário em seu escopo cronológico e espacial, este livro traz a primeira análise histórica abrangente e compreensível do racismo — um fenômeno relacional, que sofre alterações com o tempo e não pode ser compreendido em sua totalidade através de estudos segmentados de breves períodos, de regiões específicas ou de vítimas recorrentes. Nesta obra de fôlego, o renomado historiador Francisco Bethencourt mostra as formas de racismo que precederam as teorias de raça, observando-as no contexto de hierarquias sociais e condições locais. O argumento é de que a prática discriminatória, em suas várias modalidades e aspectos, foi sempre provocada por projetos políticos de monopolização de recursos.O foco de “Racismos” é o mundo ocidental, mas o autor também propõe comparações com tipos de segregação presentes em outras regiões do mundo. Ao provar que não há uma tradição constante de racismo, Bethencourt amplia nossa compreensão das relações inter étnicas e contribui para o fim da história deste preconceito. Com 608 páginas, o livro é um lançamento da Editora Companhia das Letras.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
13 de Agosto, 2018
Faturando - 43
13 de Agosto, 2018
A acupuntura promete melhorar bastante a beleza do corpo e a autoestima - 31
13 de Agosto, 2018
O CD Piano Rock - Glaucio Cristelo – Coletânea chegou nas lojas - 24
13 de Agosto, 2018
O filme A Viagem de Meu Pai chegou nas locadoras - 33
13 de Agosto, 2018
Frango Assado Inteiro Recheado Com Farofa - 41


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites