iFolha - Vereadora negra e favelada assassinada no Rio morreu por defender bandidos?

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 22 de Setembro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 17/09/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 18 de Março, 2018 - 21:41
Vereadora negra e favelada assassinada no Rio morreu por defender bandidos?

COMO É TRISTE ...

... não apenas ver, mas tentar enxergar o significado, o que está por detrás de todo este ódio que se espalha incon­trolavelmente pela internet. Em comentários de sites noticiosos, em sites de relacionamento como o Facebook, são constantes as manifestações imbe­cilizadas pela falta de conhecimento, de capacidade de reflexão e de respeito ao próximo, os chamados valores morais que se originam, em tese, na tal dicotomia do bem e do mal.

PARECE ...

... que todo covarde, reativo, Zé Roela mesmo, acaba, quando na frente do computador, ou do Smartphone, se sentindo a última bolacha do pacote; se travestem de lutadores de MMA e adquirem uma coragem insana para atacar, agredir, vilipendiar qualquer um que não se enquadre no seu pequeno mundinho de no máximo 200 palavras.

NO MUNDO ...

... virtual são totalmente ditadores, donos do mundo, donos de todas as almas, senhores da verdade absoluta, que condenam tudo e todos sem provas, sem conhecer os fatos, sem dar direito a que o acusado se defenda. Aí, detonam tudo, até quem os defende.

MAS ...

... quando voltam para o mundo real, voltam a ser cordeirinhos. De frente com o outro, se acovardam, são verdadeiros cordeirinhos, incapazes de estabelecer o debate de ideias, já que suas verdades absolutas são facilmente descons­truídas por quem quer que seja que tenha um mínimo de capacidade de reflexão.

COMO NÃO ...

... dá para, cara a cara, xingar a mãe do outro, questionar a sua sexualidade, chamá-lo de amigo de bandido, ou seja lá o que for, então, se transformam em seres dóceis, dignos de serem tratados com carinho e apreço, covardes de carteiri­nha, verdadeiros imbecis que não tiveram a oportunidade de conquistar o conhecimento, ou não o aproveitaram e são manipulados pelas falsas profecias impostas por “fakes” ou mesmo pela convivência com as tribos virtuais.

SÃO FORMADOS, ...

... bacharelados, letrados, pelas verdadeiras falsidades que são disseminadas pela rede. Lá são verdadeiros super-homens vivendo suas histórias em quadrinhos, mas quando saem das telas dos computadores e têm que conviver com a realidade do seu dia-a-dia cada vez mais são obrigados a se drogar, seja pelos remedinhos sossega-leão, seja pelo próprio álcool. E assim caminha a humanidade virtual que, segundo o físico Stephen Hawking, falecido esta semana, aos 76 anos de idade, terá como ameaça para a própria sobrevivência, a IA – Inteligência Artificial, que já é a principal arma de dominação e da transformação de mentiras em verdades pelas redes sociais na internet.

O MUNDO ...

... virtual está criando uma dualidade, como se as pessoas passassem a ter dupla personalidade: a virtual e a real. A primeira, quando está na internet e a outra quando tem que conviver com outros seres e não com os pixels que se movimentam na tela, na triste realidade da vida.

NÃO BASTASSE ...

... a verdadeira guerra de interesses escusos que tem sido travada nas redes sociais para se tentar provocar o esquecimento ou desviar a atenção para que estes pobres esquecidos caiam mais uma vez no conto do salvador da pátria, daquele que precisa do seu voto para poder fazer você feliz, e votando em político profissional que só pensa no próprio umbigo e já provou que aos amigos tudo e aos inimigos a lei, esta semana tivemos o caso da vereadora assassinada no Rio de Janeiro que dá mostras de quanto os iletrados podem ser conduzidos, levados, manipulados pelo caminho do ódio e do preconceito.

SEM SE TER ...

... nenhuma confirmação dos motivos de sua morte com quatro tiros na cabeça disparados à queima roupa, os zumbis virtuais e os bandidos da rede com suas máquinas com IA, já passaram a despejar o fel alegando que a vereadora, por defender os direitos humanos, ser negra, oriunda da própria favela, havia sido morta por seus “amigos” traficantes.

POR SER NEGRA, ...

... nascida na favela e defensora dos direitos humanos (que os incautos, por desconhecimento, são contra, mas sentem na pele quando necessitam dele) e que denunciava os abusos da polícia não tinha o direito nem de ser homenageada como foi, com manifestações por todo o Brasil, de milhares de pessoas que tiveram a oportunidade de aprender a linguagem e, com ela, a pensar, a refletir, a não ser enganadas pelos verdadeiros bandidos que se locupletam manipulando as opiniões dos incautos e criam um verdadeiro exército de zumbis.

MULHER, ...

... negra, mãe, feminista, socióloga, “cria da favela”, como ela mesmo gostava de falar. Nascida no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio de Janeiro, em 27 de julho de 1979, Marielle Francisco da Silva, a Marielle Franco, era referência na luta pelos direitos humanos. A mais recente conquista na área foi o mandato de vereado­ra na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, eleita pelo PSOL. 

COM BOLSA ...

... integral, após ser aluna do Pré-Vestibular Comunitário da Maré, Marielle Franco se graduou em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Durante os estudos na PUC, ela não se envolveu com movimentos estudantis, por conta da pouca disponibilidade de tempo, dividido entre estudos e trabalhos para sustentar a filha Luyara, nascida quando Marielle tinha 19 anos. Hoje, a jovem tem 18 anos.

COM DIPLOMA ...

... de socióloga, ela, que já tinha trabalhado como educadora infantil na Creche Albano Rosa, na Maré, se tornou professora e pesquisadora respeitada. Depois virou mestre em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

É O TÍPICO ...

... exemplo de quem aproveita as poucas oportunidades dadas pelo sistema aos menos favorecidos para conseguir ser alguém nesta sociedade hipócrita que vive do “escravagismo” milenar perpetuado justamente por um sistema que não dá o direito aos pobres de ter a mesma educação de qualidade que é oferecida aos mais abastados.

NO WHATSAPP ...

... na manhã do dia seguinte, inclusive em Olímpia mesmo, já circulava um comentário com os seguintes dizeres: “Que os assassinos da verea­dora do PSOL sejam tratados com dignidade e respeito! Ao invés de serem presos, sejam reintegrados a sociedade, pois a cadeia não reeduca ninguém e eles são apenas seres humanos, vítimas da sociedade opressora e sem Oportunidade! Vítimas do afeto capitalista!”

O IDIOTA ...

... (no sentido da falta de conhecimento e capacidade de reflexão), ao escrever tais comentários, se esqueceu que ele vive em sociedade e que a lei deve ser para todos e não somente para alguns, sob pena de se criar um regime de exceção.

MUITO SIMPLES, ...

... a sociedade cria leis e cria mecanismos para o seu cumprimento e aplicação. Sem querer passar o “be a bá”, mas já passando e só pra começar, está na constituição que “Ninguém pode ser considerado culpado antes de uma sentença condenatória transitada em julgado (ou seja, quando não existe mais recurso)”.

O PRINCÍPIO DA ...

... presunção de inocência é um instituto previsto no artigo 5º, inciso LVII da Constituição Federal de 1988. Refere-se a uma garantia processual atribuída ao acusado pela prática de uma infração penal, oferecendo-lhe a prerrogativa de não ser considerado culpado por um ato delituoso até que a sentença penal condenatória transite em julgado, ou seja, não tenha mais recurso. Esta situação, em tese, evita a aplicação errônea das sanções punitivas previstas no ordenamento jurídico. Ainda garante ao acusado um julgamento de forma justa em respeito à dignidade da pessoa humana.

PORTANTO, ...

... é um dos pontos principais do que a vereadora mais defendia, os chamados “Direitos Humanos”, mas o imbecil ou imbecis, como o que escreveu o tal comentário, deve acreditar mais nos direitos dos escravos, ou dos animais do que nos humanos. Querem que o sujeito sobre quem paire alguma acusação seja executado sumariamente pelos agentes sem direito nem mesmo ao tal do julgamento justo.

PARA A APLICAÇÃO ...

... das leis, existem várias órgãos, cada uma com sua função definida, atualmente. A polícia militar faz o chamado policiamento ostensivo e atende as ocorrências que são registradas pela polícia civil que é a incumbida da investigação.

APÓS ...

... o chamado inquérito policial, o seu resultado vai para o Ministério Público (promotoria) para que este, como titular da ação penal, ofereça ou não a denúncia que será aceita ou não pelo juiz. Se aceita, o acusado terá direito a defesa de um advogado.

APÓS TODO O ...

... tramite judicial, se condenado, ainda assim o acusado terá direito a rever o seu caso em recurso à segunda instância quando deverá ser julgado por um órgão colegiado. Se for novamente condenado, ainda terá direito a ser julgado por outros dois órgãos, mas onde não mais se discutirá o mérito da ação, mas apenas se houve, durante o processo, alguma ilegalidade ou inconstitucio­nalidade. No caso da ilegalidade, o órgão a ser inquirido será o STJ – Superior Tribunal de Justiça e no caso da incons­titucionalidade, o STF – Supremo Tribunal Federal.

SE UM POLICIAL, ...

... abreviando todo este processo, simplesmente se arvora de promotor, advogado e juiz e bate, aleija ou mata alguém, ele está ferindo frontalmente os direitos humanos, pois é direito de qualquer cidadão, ter um julgamento justo.

MESMO PORQUE...

... erros podem existir no próprio processo que é demorado e cheio de recursos justamente para evitar decisões que são incorrigíveis depois de executadas.

AGORA ...

... é claro que um ser humano pode ser reintegrado à sociedade. Ou vocês acham que só os bandidos corruptos que nem saem da sociedade e matam mais do que qualquer traficante, pois tira o dinheiro que era para não deixar crianças e doentes morrerem por falta de recursos, tem direito de serem reintegrados. Aliás, a maioria nem sai da sociedade, pois a própria sociedade é corrupta.

SE TODO PRESO ...

... pudesse, no cárcere, ser reeducado e sair de lá com formação suficiente para, ao invés de furtar, roubar, traficar, etc, exercer uma profissão, ter uma vida digna, vocês acham que a maioria não optaria por deixar o mundo do crime? Claro, os bandidos da corrupção, com certeza não aceitariam.

VOLTANDO ...

... para o caso da vereadora em si, que nasceu, foi criada e vivia na favela da Maré, ela tinha noção de que os moradores de sua região, de sua senzala, pois era negra também, não haviam tido o direito e a oportunidade que ela teve e, claro, eram a ponta mais fraca de uma sociedade que até hoje mantém seus escravos animalizados sem capacidade de refletir, de entender o mundo em que vivem.

E MAIS: ...

... dentro da favela, traficantes não agridem favelados e nem estes vivem amedrontados por eles, pois são uma realidade produzida pelo lixo que é o sistema que joga para a periferia os escravizados.

PARA SER ...

... mais claro, quem vocês acham que são os ídolos da maioria das crianças das favelas de Olímpia? Os professores? O padre? O médico? O advogado? Não pessoal, tudo isso está fora da realidade deles. Eles sonham a ostentação que só pode ser conseguida através do rap, do futebol, ou do tráfico. Chega de hipocrisia, gente, vamos enxergar o mundo que vivemos de uma maneira mais ampla e menos baseada no próprio umbigo.

José Salamargo, acreditando que, apesar de tudo, a internet e o exercício contínuo do manifestar as opiniões é que vai tirar a maioria da população deste estado de catatonia que vive a nossa geração de zumbis que pulula pelas redes sociais. Quem viver e sobreviver, verá!

 


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
17 de Setembro, 2018
Colhendo os frutos - 84
17 de Setembro, 2018
Óculos de sol: mais do que beleza, são uma necessidade! - 72
17 de Setembro, 2018
CD Baile do Nêgo Véio – Alexandre Pires chegou nas lojas - 60
17 de Setembro, 2018
O filme A Morte de Stalin chegou nas locadoras - 64
17 de Setembro, 2018
Patê de Queijo - 73


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites