iFolha - Lisboa, a capital da “terrinha”

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 20 de Setembro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 17/09/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 22 de Janeiro, 2018 - 11:50
Lisboa, a capital da “terrinha”

Bela vista de Lisboa, a qual mostra todo o encanto da capital de Portugal. Ao fundo pode se apreciar a ponte sobre o rio Tejo e na colina o Castelo de São Jorge / GB Imagem



A ponte sobre o Rio Tejo, com projeto idêntico a de San Francisco, nos Estados Unidos é uma atração que não pode ficar de fora de seu itinerário / GB Imagem

 

 

 

Quer conhecer um país do exterior, mas não quer se preocupar com o idioma? Então uma boa opção é você viajar para Portugal. Mesmo sendo nossa língua mãe, você tem que prestar bastante atenção, ainda mais quando os portugueses de empolgam e começam a falar rapidamente... e lembrando que nem todas as palavras no Brasil tem os mesmos significados em Portugal, por isso tome cuidado para não dar nenhum fora! Lá você não vai ficar na fila para esperar o trem. Lá você vai ficar na bicha para esperar o comboio. Atenção mulheres: se for comprar calcinha, não peça calcinha, peça cueca! Homens: se for comprar camisinha, não peça camisinha, peça durex! Mas tirando essas e algumas outras palavras que têm significados diferentes, Portugal é o destino ideal para suas férias sem se preocupar com o idioma. A dica de hoje é conhecer sua capital a famosa Lisboa.

Independente desde 1143, Portugal estabeleceu definitivamente as suas fronteiras continentais em 1297, sendo um dos países mais antigos da Europa.

A história de Portugal e Lisboa se confunde em muitos aspectos. Lisboa já fez história para o mundo, encontrando-se vestígios dessa história não só espalhados pelos cinco cantos do Planeta como em sua própria capital.

Portugal é membro da União Europeia desde 1986; situado no extremo sudoeste da Península Ibérica, a sua localização ao longo da costa atlântica determinou a sua vocação marítima.

No ano de 1415, os portugueses lançaram-se numa epopeia de viagens que os tornaria os primeiros a percorrer o caminho marítimo para a Índia, Brasil, China e Japão, ao mesmo tempo em que se estabeleceram na costa ocidental e oriental da África.

Portugal é hoje uma nação de crescimento acelerado, que tem conservado através dos séculos o seu maior tesouro, a identidade de um povo hospitaleiro que faz do seu país um porto de simpatia e segurança.

Lisboa estende-se pela margem direita do Rio Tejo, tem como centro o bairro setecentista em torno do Rossio no coração da cidade, um pouco mais além, o visitante avista no alto da colina o Castelo de São Jorge, originalmente construído pelos mouros em cuja vista repousa os velhos bairros como Alfama e Fado. E falando nos velhos bairros, o visitante não pode deixar de participar do almoço ou jantar, regado a apresentações de grupos folclóricos.

Dá até para relembrar Salvador (BA) andando no elevador de Santa Justa e ainda voltar um pouquinho no tempo, andando de bonde, transporte regular por aquelas paragens, por lá mais conhecidos como eléctros.

Seguindo a Lisboa Ribeirinha (como os portugueses a chamam), vem a Praça do Comércio, a ponte sobre o Rio Tejo, com projeto idêntico a de San Francisco, nos Estados Unidos e a Torre de Belém, próximo ao Monumento dos Descobrimentos. A Torre de Belém foi concluída em 1520 e aos poucos foi perdendo sua função de defesa, sendo mais tarde utilizada como aduaneiro, sinalização telegráfico e também como farol. Durante o reinado de Filipe II da Espanha, se utilizou a torre como masmorras para os presos políticos. Em 1907 foi classificada como Monumento Nacional e em 1983 foi classificada como Patrimônio Mundial da UNESCO e é hoje um dos símbolos de Lisboa. Deve se observar as ornamentações dos monumentos no estilo Manuelino, termo criado no Século XIX para designar a ruptura artística portuguesa, na passagem do Século XV para o Século XVI, durante o reinado de D. Manuel.

Visite o Mosteiro dos Jerónimos, obra prima de pedra rendilhada e o Museu dos Coches com a maior coleção do mundo de carruagens; conheça também a Estufa Fria, com espécies vegetais de várias partes do mundo, inclusive do Brasil.

Imperdíveis são os passeios que partem diariamente do Parque Eduardo VII, mostrando os principais pontos turísticos.

Se quiser conhecer todos os recantos e ruelas de Lisboa, sem se cansar de subir e descer as sete colinas da cidade apanhe o “Eléctrico 28”, que leva o visitante pelos locais mais interessantes do patrimônio de Lisboa. Saindo do Martim Moniz, o “28”, um antigo bonde, dirige-se ao bairro da Graça, na direção do mosteiro de São Vicente de Fora, que merece uma visita pela sua imponência. Por detrás do mosteiro, fica o Campo de Santa Clara, onde as terças e sábados há um mercado, a Feira da Ladra, na qual tudo se compra e vende. O bonde continua por Alfama, passando por algumas das ruas e praças mais pitorescas da zona medieval de Lisboa, como a Rua das Escolas Gerais, o Largo das Portas do Sol, um belo miradouro sobre o rio, e mais acima o Castelo de São Jorge. Descendo em direção à Baixa, o “28” passa pela Catedral, de fachada românica austera e pela Igreja de Santo Antônio, o santo predileto da cidade. Continuando a descer pela movimentada Rua da Conceição, vale a pena sair na Baixa Pombalina, projetada pelo Marquês de Pombal depois do terremoto de 1755. O “eléctrico” sobe a elegante colina do Chiado, parando quase em frente do famoso café “A Brasileira”, onde a estátua do poeta Fernando Pessoa espera pela sua companhia. Ao longo de todo o percurso vale a pena prestar atenção à arquitetura dos edifícios, aos azulejos que forram as fachadas e os frisos de estilo Arte Nova. Ao caminho para a Estrela, admire o edifício da Assembleia da República, antigo convento de São Bento, no alto da sua grande escadaria. Compreende agora porque o “eléctrico” é conhecido pelo bonde dos turistas?

Se você gosta de música, uma boa opção na capital portuguesa é o fado. O fado é, por excelência, a canção de Lisboa. Produto de um sentimento próprio, de uma alma que não se explica, mas que se sente, o fado é ainda hoje o produto mais nobre e genuíno da cultura popular portuguesa.

Em Lisboa o clima é sempre ameno. Se o assunto é compras, existem galerias de lojas, sendo que os vendedores ambulantes estão sempre bem humorados e prontos para barganhar. Dica importante: a Baixa ou Praça do Comércio é o principal centro comercial de Lisboa, sendo que algumas lojas fazem sapatos artesanais em poucos dias.

Gostou? Então procure um agente de viagens e programe a suas férias na “terrinha”!


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
17 de Setembro, 2018
Colhendo os frutos - 70
17 de Setembro, 2018
Óculos de sol: mais do que beleza, são uma necessidade! - 60
17 de Setembro, 2018
CD Baile do Nêgo Véio – Alexandre Pires chegou nas lojas - 50
17 de Setembro, 2018
O filme A Morte de Stalin chegou nas locadoras - 54
17 de Setembro, 2018
Patê de Queijo - 58


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites