iFolha - Juiz nega a prisão domiciliar para Euripinho mas ainda pode voltar atrás após exames particulares

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 16 de Outubro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 15/10/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Canal da Nicole
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 17 de Agosto, 2017 - 09:05
Juiz nega a prisão domiciliar para Euripinho mas ainda pode voltar atrás após exames particulares

O juiz de direito da Vara Criminal de Olímpia, Eduardo Luiz de Abreu Costa, negou, na terça-feira, dia 15, o pedido de conversão de prisão preventiva em domiciliar feito pelo advogado do corretor de imóveis Euripedes Augusto de Mello.

Euripinho permanece preso preventivamente no CDP – Centro de Detenção Provisória de Icem, acusado de homicídio qualificado e associação criminosa em razão do tiroteio ocorrido defronte a casa onde mora com a irmã na rua Senador Virgílio Rodrigues Alves que resultou na morte do ex-soldado Leandro Ribas com um tiro na nuca.

Segundo o juiz em sua decisão, “a prisão domiciliar consiste no recolhimento da parte indiciada ou acusada em sua residência, só podendo dela ausentar-se com autorização judicial. E nos termos do art. 318, caput, do CPP, poderá o juiz substituir a prisão preventiva pela domiciliar quando o agente for: (...) extremamente debilitado por motivo de doença grave”.

Abreu Costa fundamenta sua decisão alegando que após a leitura das informações que recebeu sobre o estado de saúde do corretor de imóveis tanto dos médicos locais e da Santa Casa de Olímpia, assim como do próprio CDP de Icem, não verificou prova idônea para aplicar as hipóteses estabelecidas em lei.

Para ele não há comprovação de que Euripinho esteja com doença grave (ou estado clínico), extremamente debilitado, mesmo alegando enfermidade por coronariopatia, hipertensão arterial e diabetes.

Cita, inclusive que o laudo clínico emitido por médico do CDP de Icem aponta e atesta que o estado de saúde dele é estável, conclusão essa afirmada anteriormente pelo médico, Dr. Nelson Odair Gianoto, da Santa Casa de Misericórdia local e não contrariado pelos documentos médicos apresentados pela Defesa, além de a assistência médica necessária estar garantida pelo estabelecimento prisional.

O juiz, no entanto, alegando fundamento humanitário, concedeu a permissão para que Euripinho saia do CDP, mediante escolta, para que se submeta à realização de novos exames clínico, laboratorial e de imagem (e.g., ecocardiograma) sob a supervisão de médico particular.

E o juiz finaliza a sua decisão concluindo: “com a apresentação de novos exames, comprometo-me, após a necessária manifestação do Ministério Público (custos legis), a exercer, se sobrevierem razões que o justifiquem (agravamento de seu estado de saúde), o juízo de retratação”.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
15 de Outubro, 2018
Nada de traição! - 37
15 de Outubro, 2018
Reeducação alimentar é o grande segredo! - 35
15 de Outubro, 2018
Novo disco de Jana Linhares está nas lojas - 26
15 de Outubro, 2018
O filme Não Vai Dar chegou nas locadoras - 33
15 de Outubro, 2018
Drink de Morango - 38


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites