iFolha - Carnaval no recinto desagradou diretor da Escola Samba Sem

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 17 de Julho de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 16/07/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Coluna da Bruna
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 05 de Março, 2017 - 14:44
Carnaval no recinto desagradou diretor da Escola Samba Sem

A realização dos desfiles das escolas de samba no entorno do Recinto de Exposições e Praça das Atividades Folclóricas e Turísticas Professor José Sant’anna, desagradou o diretor da Associação Cultural Samba Sem Compromisso, Luiz Fernando Monzani. “O que a gente conseguiu fazer foi muito bom. Adoramos o carnaval. Só que o lugar (recinto) não expressa aquilo que a gente pensa de carnaval”, declarou à reportagem desta Folha na noite de terça-feira, dia 28.

“A gente pensa em carnaval de rua. A gente pensa em carnaval de participação. A gente pensa em carnaval com espaço aberto. Não é crítica pela crítica, mas apenas uma sugestão”, justificou.


Monzani comentou também que “a gente tem visto no Brasil inteiro o movimento do carnaval de rua, ou seja, o carnaval que ocupa os espaços da cidade e não os recintos fechados. E é isso que a Samba Sem sempre quis fazer”. “Esse lugar não é adequado para aquilo que a gente pensa”, reforça.

Já sobre o desfile como um todo disse: “apesar de todas as dificuldades a gente consegue. Todos estão de parabéns”.

A Samba Sem Compromisso apresentou cerca de 120 componentes que cantaram o tema “Batuque na Cozinha”.

A intérprete Sheila Pereira explica que se trata de uma brincadeira de duplo sentido. “Quem não é do samba não sabe, mas quem tem afinidade com o samba entende assim que ouve o nome. Cozinha dentro de uma escola de samba é a denominação dada aos instrumentos que fazem a graça do samba, que colocam o tempero, o swing, como o ago­gô, o ganzá, a frigideira entre outros. É uma forma de homenagear a cozinha da bateria e enfatizar a importância da cozinha de casa como espaço agrega­dor, acolhedor, um espaço onde o samba acontece na intimidade”. Esta temática mistura o tempero do samba com o tempero da cozinha caseira.

Uma ala de crianças abriu a apresentação da escola, seguida da porta-bandeira Sandra e do mestre-sala Dárcio, e do casal Victor e Gi, levando o estandarte da Sem Compromisso.

No carro alegórico, os músicos abriram passagem para os intérpretes Sheila e Wadão Marques, que levantaram o público com o samba-enredo. Laura Murad, neta do presidente do Clube Thermas dos Laranjais, Benito Be­natti, estreou na avenida e mostrou simpatia e talento. Logo em seguida, a bateria, com o charme e o samba no pé da rainha Gerusa, passou diante do público encerrando o espetáculo.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
16 de Julho, 2018
PM de São Paulo mata olimpiense com um tiro no abdome em bar na Av. Aurora Forti Neves - 361
16 de Julho, 2018
Pele macia e hidratada durante o Inverno - 28
16 de Julho, 2018
Personagem - 24
16 de Julho, 2018
Pele macia e hidratada durante o Inverno - 16
16 de Julho, 2018
O CD Sem Rótulos - Mano Walter chegou nas lojas - 17


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites