iFolha - Dentista esposa de guaraciense morre durante lipoaspiração em hospital de São José do Rio Preto

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 22 de Janeiro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 22/01/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 10 de Janeiro, 2017 - 14:26
Dentista esposa de guaraciense morre durante lipoaspiração em hospital de São José do Rio Preto

A esposa do guaraciense Walter Mendes, que atualmente reside em Passo Fundo, Estado do Rio Grande do Sul, a cirurgiã dentista Carolina Souza Bernardes (foto), de 34 anos de idade, morreu na quarta-feira, dia 15, durante uma lipoaspiração que estava sendo realizada em um hospital de São José do Rio Preto. Ela teve complicações durante a cirurgia que era realizada por cirurgião plástico daquela cidade.

De acordo com o jornal Diário da Região, o corpo foi cremado na tarde da quinta-feira, dia 16, no cemitério Jardim da Paz, em Rio Preto. Consta que ela estava na casa de parentes em Guaraci para facilitar o deslocamento até Rio Preto.

Segundo a administradora do hospital, Aparecida Vieira de Carvalho, a paciente deu entrada na unidade no começo da tarde da quarta-feira e morreu por volta das 20 horas.

A lipoaspiração estava sendo realizada por cirurgião plástico de Rio Preto. Ao procurá-lo no consultório dele, a reportagem do Diário foi informada que o médico estava viajando. Por meio da secretária dele, o médico disse que a morte da paciente foi uma fatalidade.

Carolina sofreu um infarto do miocárdio durante o procedimento cirúrgico, segundo informou o médico. A lipoaspiração foi suspensa e a paciente foi encaminhada à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, onde não resistiu a complicação do quadro clínico e morreu. Essa era a segunda vez que a paciente passava por procedimento cirúrgico com o mesmo médico.

O corpo da dentista foi encaminhado para a cidade de Guaraci, onde mora a família do marido dela, Walter Mendes. O corpo chegou por volta das 3 horas da madrugada da quinta-feira e ficou sendo velado até as 17 horas, quando foi levado de volta para Rio Preto para ser cremado.

MARIDO ABALADO

Abalado com a morte da mulher, Walter Mendes disse que não conseguia comentar sobre o assunto ao ser procurado pela reportagem na chegada a Rio Preto na tarde da quinta-feira. Ele veio acompanhado de dois amigos para providenciar os procedimentos de cremação.

Walter e Carolina moravam em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. Em dezembro eles completaram dez anos de casados. A dentista era mãe de um menino de 14 anos e uma menina de 9 anos. Familiares e amigos também não quiseram falar sobre a morte da mulher.

A morte de Carolina não foi comunicada à polícia pelo hospital e pela família. Segundo a administradora do hospital Santa Helena, só é registrado um boletim de comunicação de óbito quando se tem indícios de crimi­nalidade. “O que não se caracterizou neste caso, já que tudo indica que foi uma intercorrência médica, uma fatalidade.”

PACIENTE ESTAVA APTA

De acordo com a administradora do hospital Santa Helena, Apa­recida Vieira Carvalho, foi uma fatalidade a morte da dentista Carolina Souza Bernardes Mendes, 34 anos, devido complicações durante a lipoaspiração. “Todas as medidas que antecedem e precedem esse tipo de procedimento cirúrgico foram tomadas. Foi constatado nos exames que a paciente estava apta para passar pela lipoaspiração, logo, a morte foi uma intercorrência médica.”

Aparecida Carvalho explica que não tem como o hospital se posi­cionar oficialmente sobre o caso, já que a morte foi registrada anteontem. “O que se pode adiantar é que todo o atendimento necessário foi prestado à paciente. Assim como o suporte a família, com a morte dela”.

A administradora destaca que lipoaspirações são realizadas diariamente no hospital. Diante disso “será apurado quais as complicações que levaram a morte da paciente junto ao médico e a equipe que estava no momento e tomar as medidas necessárias”.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
22 de Janeiro, 2018
Bumbum endoidado - 11
22 de Janeiro, 2018
Aproveite o Verão, mas cuidado com o sol - 8
22 de Janeiro, 2018
O CD Sambas de Enredo Carnaval 2018 está nas lojas - 8
22 de Janeiro, 2018
O filme IT: A Coisa chegou nas locadoras - 9
22 de Janeiro, 2018
Bolo de Laranja - 9


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites