iFolha - Altair já aparece como o 3.º maior em epidemia de dengue da região

Ifolha - Folha da Região


Olimpia, 25 de Fevereiro de 2018
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 25/02/2018
REGISTRE-SE
SUGIRA O SITE PARA UM AMIGO

 


Notícias
Arte e Cultura
Cidades
Comportamento
Economia/Turismo
Educação
Esportes
Falecimentos
Geral
Justiça
Polícia
Política
Saúde
Entretenimento
Bastidores/TV
Beleza
CD/Dicas
Cinema
Classificados
  - Casas
  - Carros
  - Motos
  - Diversos
Culinária
  - Doces
  - Salgados
Datas
Dicas
Empresas
Horóscopo
Humor
Livros
Notícias/TV
Novelas
Perfil/TV
Social
Viagem
Viver Bem
Opinião
Artigos
Coluna do Arantes
Coluna do Ivo
Editorial
Zanoliando
Rádio / TV
Olímpia FC - TV
Radio iFolha
TViFOLHA

Ifolha

Olimpia, 15 de Abril, 2013 - 19:14
Altair já aparece como o 3.º maior em epidemia de dengue da região

Chegou de repente e já preocupando ainda mais. Isso porque o município de Altair já aparece como a terceira maior epidemia de dengue da região noroeste, segundo informação divulgada neste domingo, dia 14, pelo jornal Diário da Região, de São José do Rio Preto. No total, 44 municípios já apresentam situação epidêmica da doença, que é transmitida pelo mosquito Aedes-aegypt, adulto e contaminado.

Nesse grupo de cidades, as mais infectadas são Itapura (um doente para cada 26 moradores neste ano), Barretos (um para 34) e Altair (um para 36). Barretos também concentra a segunda maior quantidade absoluta de ocorrência, com 3.312 até sexta-feira.

A dengue explodiu na região. Já são 14.626 casos confirmados em 119 cidades. Isso faz com que o Noroeste paulista concentre um terço das 42,4 mil ocorrências de todo o Estado. Só Rio Preto coleciona 4,9 mil casos de dengue, com três mortes - no Estado, foram 12 óbitos. Um em cada grupo de 82 rio-pretenses já teve dengue neste ano.

Embora Rio Preto concentre a maioria dos casos, 5 mil, a dengue se alastra pela região. São 44 municípios em que as ocorrências confirmadas, entre autóctones (contraídos na cidade) e importadas, ultrapassam a proporção de 333 para cada 100 mil habitantes, o que caracteriza o estado epidêmico, conforme preconiza o Ministério da Saúde. O levantamento foi feito entre quarta e sexta-feira da última semana, utilizando dados populacionais do IBGE para o cálculo de epidemia.

ALTAIR

A troca de prefeitos contribuiu para o quadro alarmante. Em Altair, com 105 casos confirmados, a gestão anterior demitiu um dos dois agentes de combate aos criadouros. Ficou apenas um para os 1,5 mil imóveis da cidade, número abaixo do preconizado pela Sucen.

“Agora, contratamos mais dois agentes, e esperamos diminuir esses casos”, diz o coordenador de vetores, Ricardo Oliveira. Procurado, o ex-prefeito José Braz Alvarindo do Prado, não foi localizado.


Comentários - 0
Seja o primeiro a comentar
 
Ultimas Noticias
25 de Fevereiro, 2018
Caso interdição do Tifany e irregularidades na maioria dos empreendimentos: quem deve ser responsabilizado? - 18
25 de Fevereiro, 2018
Geninho deputado federal seria a busca pelo foro privilegiado? - 23
23 de Fevereiro, 2018
Caminhão desgovernado atinge 3 veículos na Constitucionalista - 395
22 de Fevereiro, 2018
Prefeitura interdita Tiffany por falta de regularização na prefeitura. Hotel de 70 apartamentos estava registrado como um escritório - 357
22 de Fevereiro, 2018
Duas crianças e um adolescente são pegos furtando depósito do Bachega - 295


Compartilhe: Facebook Orkut Twitter
       






























Site oficial do jornal Folha da Região de Olímpia | Fone: (17) 3281 6432
Desenvolvido por Infinity Web Sites